Meu Deus eu Creio, Adoro, Espero e Amo-Vos. Peço-Vos perdão para todos aqueles que não creem, não adoram, não esperam e não Vos amam.

Translate

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Translate Formação Católica

23 junho 2016

A HISTÓRIA DE BENTLEY - A VITÓRIA DA VIDA CONTRA A INDÚSTRIA DE MORTE

Bebezinho Bentley que por pouco não foi morto ainda no ventre de sua mamãe.
"Especialistas" afirmaram que o bebezinho Bentley não tinha chance de vida, e os seus pais chegaram a pensar em interromper a gravidez.

Quando Sierra Yoder estava grávida de cinco meses, os médicos da pequena cidade onde ela vivia no Estado de Ohio, nos Estados Unidos, disseram que seu filho tinha uma doença muito rara, conhecida como encefalocele. Isso significa que o cérebro do bebê estava crescendo fora do crânio.

"Eles nos disseram que nosso filho não sobreviveria. Não nos deram nenhuma esperança", explicou Sierra.

Diante dos prognósticos ruins dados pelos médicos, ela e seu marido, Dustin Yoder, decidiram que interromperiam a gravidez. Eles já estavam dispostos a iniciar o procedimento do aborto, mas, de última hora, mudaram de ideia e seguiram em frente. E, apesar de todas as previsões negativas, Bentley nasceu com saúde e sobreviveu.

Preparados para o pior

Sierra teve uma gestação normal, e o bebê veio ao mundo em 31 de outubro de 2015, um dia depois do previsto.

"Quando Bentley nasceu, esperávamos que ele não fosse chorar, que não fosse se mexer, pensávamos que não saberíamos nem identificar quando ele estivesse com fome", disse Dustin.

No entanto, o bebê chegou como todos os outros: chorando. "Nós nos olhamos e pensamos: eles nos disseram que ele nem sequer iria respirar", contou Sierra.



Bentley recebendo todo o amor e atenção de seus pais, os abortistas médicos o queriam morto.

Apesar da surpresa, o processo não foi fácil. Apesar da alegria pelo nascimento do filho, a mãe tinha se preparado para perdê-lo - diante das previsões negativas, ela procurou saber, por exemplo, informações sobre os procedimentos para funerais.

Mas o bebê se desenvolveu bem e recebeu alta.

"Nós não conseguíamos entender como Bentley estava usando seu cérebro. Pensamos que ele talvez estivesse usando uma parte que ficava dentro do crânio", disse Sierra.

"Esperançosos, eles decidiram pedir uma segunda opinião em uma clínica em Cleveland e contataram especialistas do Hospital Infantil de Boston. Foram os médicos de lá que disseram ao casal que era possível fazer uma cirurgia em Bentley. Os neurocirurgiões John Meara e Mark Proctor operaram o bebê em 24 de maio passado. E o procedimento foi um sucesso.



Um caso raro

Quando a equipe do hospital conheceu os pais do bebê, dois meses antes da operação, ficou surpresa com o fato de que Bentley tinha sobrevivido e felizes diante da possibilidade de dar a ele melhores condições de vida, contou Proctor à BBC.

"Fizemos várias operações desse tipo durante o ano e por isso os pais vieram até nós. Não é algo que nunca havíamos visto", explicou.

"A encefalocele é uma doença rara que afeta um bebê em milhões. Mas o caso de Bentley era ainda mais particular porque ele tinha uma grande parte de seu cérebro ativa." Por causa disso, havia razões para acreditar que o cérebro poderia funcionar normalmente, segundo o médico. De acordo com os especialistas, não há como saber exatamente a porcentagem que estava ativa - eles estimam, porém, que provavelmente chegava perto dos 90%.

"Cada caso é um caso, mas o de Bentley era um dos mais complexos", disse o neurocirurgião.

Mas e agora, o que esperar do desenvolvimento do bebê?

"É uma pergunta difícil de responder. Ele provavelmente vai demorar um pouco mais para desenvolver a fala, mas esperamos que possa ter uma vida normal. Ainda é complicado saber como ele vai evoluir", afirmou o médico.

http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2016-06-22/o-bebe-que-surpreendeu-os-medicos-ao-sobreviver-com-o-cerebro-fora-do-cranio.html
---------------

Comentário do blog.

A indústria do aborto nos EUA ganhou força após a liberação do assassinatos de bebes em todos os estados do país, por meio da suprema corte americana no ano de 1973. Uma decisão da "justiça" e não daqueles a quem o povo elege para criar leis a favor da nação e pelo bem comum de todos os cidadãos.

Caso semelhante ocorreu também no Brasil onde o STF ("Superior" Tribunal Federal), por meio de seus poderes tirânicos e com ajuda da manipuladora mídia brasileira, toma posse de uma prerrogativa que não é sua, e passa a legislar em prol dos interesses da poderosa e endinheirada minoria abortista.

Primeiro liberando a manipulação de embriões como se fossem meras cobaias de laboratório sem valor algum como criatura humana, e logo em seguida por meio dos ministros abortistas, Joaquim BarbosaMarco Aurélio,  Rosa WeberLuiz FuxCármen LúciaAyres BrittoGilmar Mendes e Celso de Mello, autorizam o assassinato de crianças, totalmente indefesas, ainda em formação no ventre de suas mães, por terem sido diagnosticadas com uma grave e rara doença conhecida como anencefalia.

Os ministros acima citados nada mais fizeram que legalizar no Brasil a política do Aktion T4, colocaram em prática a lei da eugenia em nosso país. a mesma política que Hitler criara na Alemanha nazista para dar fim a vida de pessoas com deficiência, velhas e doentes.

Ora, se Hitler é ainda hoje condenado por crimes contra a humanidade ao praticar este crime bárbaro de assassinar seres humanos por suas fragilidades fisiológicas, por qual motivo estes ministros do Brasil não foram também condenados, por criarem uma lei onde desgraçadamente autorizam a matança de crianças ainda no ventre materno por estas estarem gravemente enfermas?

Assim, fica-nos bem claro que a unica diferença entre Hitler e os ministros brasileiros é que o primeiro cometeu a grande loucura de perseguir judeus, que desde o século XX é verdadeiramente o único crime contra a humanidade, pois de acordo com o Talmud só os judeus são de fato seres humanos, nós os gentios não o somos e portanto nada valemos, sejamos nós adultos ou crianças ainda não nascidas.

Abaixo algumas citações racistas expressas no Talmud.

"Os judeus são chamados seres humanos, mas os não-judeus não são humanos. Eles são bestas." - Talmud: Baba mezia, 114b

"O Akum (não-judeu) é como um cachorro. Sim, a escritura ensina a honrar o cachorro mais do que ao não-judeu." - Ereget Raschi Erod, 22 30

"Mesmo tendo sido criados por Deus os não-judeus ainda são animais em forma humana. Não cai bem para um judeu ser servido por um animal. Portanto ele será servido por animais em forma humana." - Midrasch Talpioth, p. 255 Warsaw 1855

"Uma grávida não-judia não é mais do que um animal grávido."
- Coschen hamischpat 405

"As almas dos não-judeus vem de espíritos impuros e são chamadas porcos."
- Jalkut Iuchoth Haberith, p. 250 b

"Se você comer com um gentio, é o mesmo que comer com um cachorro."
- Tosapoth, Jebamoth 94b

"Se o judeu tem um servente não-judeu que morre, um não deve expressar simpatia ao judeu. Você deve dizer a ele: "Deus irá repor 'sua perda', como se um de seus bois tivesse morrido."
- Jore dea 377,1

"Relação sexual entre gentios é como relação sexual entre animais."
- Talmud Sanhedrin 74b

"É permitido tirar o corpo e a vida de um gentio."
- Sepher ikkarim III c 25

"É a lei matar qualquer um que nega a Torah. Os cristãos pertencem aos negaceadores da Torah." - Coschen hamischpat 425 Hagah 425,5

"Um gentio herético você pode matar com suas próprias mãos."
- Talmud, Abodah Zara, 4b

"Todo judeu, que faz jorrar o sangue dos sem-Deus (não-judeus), está fazendo o mesmo que um sacrifício a Deus." - Talmud: Bammidber raba c 21 & Jalkut 772

A nossa esperança de justiça está em Nosso Senhor Jesus Cristo, juiz deste mundo impio que cobrará o sangue de cada inocente assassinado pelos deicidas e seus sequazes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário