Meu Deus eu Creio, Adoro, Espero e Amo-Vos. Peço-Vos perdão para todos aqueles que não creem, não adoram, não esperam e não Vos amam.

Translate

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Translate Formação Católica

14 dezembro 2015

NOVUS ORDO MISSAE I - COMENTÁRIO ELEISON - 436

Comentários Eleison - por Dom Williamson
CDXXXVI (436) - (21 de novembro de 2015):

NOVUS ORDO MISSAE  –  I

Deus realizou milagres com a Nova Missa?

É o que sugerem as pesquisas.

“Fatos são teimosos”, é uma famosa citação do segundo presidente dos Estados Unidos, John Adams (1735-1826), “e quaisquer que sejam nossos desejos, nossas inclinações ou os ditames de nossa paixão, eles não podem alterar o estado dos fatos e sua evidência”.

Em relação ao Novus Ordo da missa imposto por Paulo VI, em 1969, a toda Igreja de Rito Latino, há alguns fatos teimosos, aptos a perturbar “os desejos e as inclinações” de católicos que estão aderindo à tradição católica. Deixemos as sucessivas edições desses “Comentários”, antes de tudo, apresentarem alguns desses fatos. Em segundo lugar, vejamos como podem ser explicados à vista do desastroso papel desempenhado nos últimos 46 anos pelo NOM* com o intuito de ajudar os católicos a perderem a Fé e, por fim, consideremos a que conclusões os sábios católicos precisam chegar.

Antes de tudo, alguns fatos:

Em 18 de agosto de 1996, na paróquia da igreja de Santa Maria, no centro de Buenos Aires, Argentina, Fr. Alejandro Pezet estava terminando de distribuir a comunhão (da Nova Missa, é claro), quando uma mulher lhe avisou sobre uma hóstia descartada aos fundos da igreja. Um paroquiano que tinha acabado de recebê-la nas mãos deve tê-la jogado fora e a abandonado no chão, como se não estivesse mais própria para o consumo. Fr. Pezet a recolheu, colocou-a corretamente num vaso de água e no tabernáculo, onde em poucos dias normalmente se dissolveria e poderia ser descartada apropriadamente. Entretanto, quando no dia 26 de agosto o sacerdote abriu o tabernáculo, qual não foi sua surpresa ao ver que a hóstia havia se transformado em uma substância sangrenta. Fotografias tiradas 11 dias mais tarde por ordem do bispo Bergoglio mostraram que ela havia aumentado consideravelmente de tamanho. Por três anos, foi mantida sob sigilo absoluto no tabernáculo, mas em 1999 o Arcebispo Bergoglio decidiu levar a cabo uma análise científica. Em 15 de outubro de 1999, na presença de testemunhas, ele permitiu que Dr. Ricardo Castañon, um neuropsicofisiologista aprovado por Roma, levasse uma mostra para teste.

Dr. Castañon levou a mostra primeiramente a um laboratório forense em San Francisco, que reconheceu nela DNA humano. Certo Dr. Robert Lawrence localizou glóbulos brancos. Certo Dr. Ardonidoli, na Itália, pensou que se tratasse provavelmente de tecido cardíaco. Um professor australiano, John Walker, reconheceu como sendo tecido muscular com glóbulos brancos intactos. Para eliminar qualquer dúvida, Dr. Castañon se dirigiu a um renomado cardiologista e patologista forense da Universidade de Columbia, Nova York, Dr. Federico Zugibe, sem dizer-lhe de onde vinha a espécie.

Observando em seu microscópio, Dr. Zugibe teria dito: “Posso dizer-lhe exatamente o que é. É parte do músculo que se encontra na parede do ventrículo esquerdo do coração, que faz batê-lo e que dá vida ao corpo. Misturado ao tecido há células brancas sanguíneas que me dizem, primeiramente, que o coração estava vivo no momento em que a mostra foi tomada, porque as células brancas sanguíneas morrem fora do organismo vivo e, em segundo lugar, que as células brancas se encaminham a uma lesão, de modo que este coração sofreu. Este é o tipo de coisa que vejo em pacientes que foram golpeados no peito”. Quando foi lhe perguntado por quanto tempo estas células permaneceriam vivas se tivessem vindo de uma amostra mantida em água, Dr. Zugibe replicou que teriam deixado de existir em questão de minutos.

Quando em junho de 1976, o Arcebispo Lefebvre estava a ponto de ordenar seu primeiro grande grupo de sacerdotes da FSSPX, apesar da desaprovação de Roma, um oficial romano veio prometer-lhe o fim de todos os problemas com Roma se somente celebrasse um NOM. Baseado em princípios, por razões doutrinais, ele se negou. Então, como Deus Todo-Poderoso pôde ter realizado milagres eucarísticos com e por meio desta Nova Missa? Leiam aqui, na próxima semana, uma resposta sugerida.

Kyrie eleison.

Tradução por Leticia Fantin Vescovi

* "Novus Ordo Missae".

Nenhum comentário:

Postar um comentário