Meu Deus eu Creio, Adoro, Espero e Amo-Vos. Peço-Vos perdão para todos aqueles que não creem, não adoram, não esperam e não Vos amam.

Translate

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Translate Formação Católica

14 dezembro 2015

INFIÉIS PERTINAZES - COMENTÁRIO ELEISON - 435

Comentários Eleison - por Dom Williamson
CDXXXV (435) - (14 de novembro de 2015):

INFIÉIS PERTINAZES

Quando a Europa tinha fé, podia derrotar
As hordas muçulmanas, e agora? — um retiro a se prolongar.

Enquanto os vacilantes remanescentes da Cristandade encaram hoje uma invasão muçulmana organizada pelos milenares inimigos de Deus, graças aos infelizes políticos das nações ocidentais e à mídia infame, é bom relembrarmos como a Cristandade foi tratada pelas invasões muçulmanas no passado, e como teve, então, de defender-se se voltando-se para Deus. No verão de 1683, um grande exército mulçumano, algo entorno de 150 a 300 mil soldados, sitiou Viena e ameaçou engolfar a Europa de sul a leste. Os muçulmanos até conceberam capturar Roma, para a glória do Islã.

Com a ajuda de um santo capuchinho, Fr. Marco da Aviano, o Papa Inocêncio XI conseguiu reunir um exército cristão, formado por várias nações europeias, com o intuito de liberar Viena. Eis a oração do capuchinho pouco antes da batalha:

“Ó grande Deus dos exércitos, olhai-nos prostrados aqui, aos pés de vossa majestade, para impetrar-vos perdão pelas nossas culpas. Sabemos bem que merecemos que os infiéis impusessem as armas para oprimir-nos, porque as iniquidades que cometemos diariamente contra vossa bondade provocaram justamente vossa ira. Ó grande Deus, vos pedimos perdão do íntimo de nossos corações; execramos o pecado, porque Vós o abominais; estamos aflitos porque repetidamente excitamos à ira vossa suma bondade. Por amor a Vós mesmo, preferiríamos mil vezes morrer que cometer a mínima ação que vos desagrade. Socorrei-nos com vossa graça, ó Senhor, e não permitais que nós, vossos servos, rompamos o pacto que somente convosco fizemos. Tende, pois, piedade de nós, tende piedade de vossa Igreja, contra a qual o furor e a força dos infiéis já se preparam para oprimi-la. Ainda que seja por nossa culpa que tenham sido invadidas estas belas e cristãs regiões, e ainda que todos estes males que nos assaltam não sejam outra coisa que a consequência de nossa malícia, sejais todavia propício, ó bom Deus, e não desprezeis a obra de vossas mãos. Recordai que, para livrar-nos da servidão de Satanás, Vós destes vosso precioso Sangue.”

“Permitireis talvez que eles sejam pisados pelos pés daqueles cães? Permitireis talvez que a fé, esta bela pérola que procurastes com tanto zelo e que resgatastes com tanta dor, seja lançada aos pés destes porcos? Não vos esqueçais, ó Senhor, que, se vós permitirdes que os infiéis prevaleçam sobre nós, estes blasfemarão contra vosso santo Nome e zombarão de vossa potência, repetindo mil vezes: ‘Onde está vosso Deus, aquele Deus que não conseguiu libertar-vos de nossas mãos?’ Não permitais, ó Senhor, que vós recordais de ter permitido a fúria dos lobos, exatamente quando vos invocávamos em nossa miserável angústia. Vinde socorrer-nos, ó grande Deus das batalhas! Se Vós estais em nosso favor, os exércitos dos infiéis não poderão nos prejudicar. Dispersai essa gente que quis guerra! De nossa parte, não amamos outra coisa que estar em Paz convosco, conosco mesmos e com nosso próximo.”

A oração continua com o pedido para que os líderes do exército cristão e os soldados se fortaleçam com a graça de Deus, com o espírito e a coragem dos heróis do Antigo Testamento, para que possam reduzir a zero os inimigos do nome cristão e mostrar adiante o poder de Deus. Que Deus conceda a fé, a esperança e a caridade aos soldados cristãos. Em Seu nome Marco abençoará em seu caminho para a batalha. Deixemos Deus segurar o braço de Sua cólera sobre eles, e deixemos seus inimigos saberem que não há outro Deus que não Ele. Como Moisés, Marco levantará seus braços para abençoar os soldados cristãos. Deus lhes garantirá a vitória, e Sua ruína aos inimigos deles. Amém.
Que politicamente incorreto! “Cães” e “porcos” – Que racista! Intolerável! Mas o fato é que Deus garantiu aos cristãos uma sensacional vitória que afastou os muçulmanos por 300 anos. Agora eles estão de volta. E agora, virtualmente, não resta arrependimento para que se invocasse Deus Todo-Poderoso...

Kyrie eleison.


Tradução por Leticia Fantin Vescovi

Nenhum comentário:

Postar um comentário