Meu Deus eu Creio, Adoro, Espero e Amo-Vos. Peço-Vos perdão para todos aqueles que não creem, não adoram, não esperam e não Vos amam.

Translate

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Translate Formação Católica

28 janeiro 2017

DO DESEJO DA VIDA ETERNA - IMITAÇÃO DE CRISTO

Santa Teresa do Menino Jesus e da Sagrada Face



Do desejo da vida eterna; 
Grandes bens são prometidos aos que combatem.


Cristo: Filho, quando sentires que o céu inspira o desejo da bem-aventurança e anelas sair do cárcere do teu corpo, para que, sem sombra de vicissitudes, possas contemplar a minha glória, dilata teu coração e recebe com todo o afeto esta santa inspiração.

Rende amplíssimas ações de graças à soberana bondade que é tão liberal para contigo, que, com tanta clemência, te visita, com tão grande ardor te inflama e com tamanho poder te sustenta, para que, por teu próprio peso não resvales para as coisas terrenas.

Porquanto não te vem isso por teus pensamentos e esforços, mas tão somente por mercê da tão soberana graça e do beneplácito divino, para que cresças nas virtudes e na humildade e te prepares para as lutas futuras e procures unir-te a mim, com todo o afeto do coração e servir-me com o fervor da vontade.

Filho, muitas vezes arde o fogo, mas a labareda não se eleva sem o fumo.
Do mesmo modo tem, alguns desejos, tão abrasados das coisas do céu e todavia não estão isento de tentações e afetos carnais.

Por isso não fazem unicamente pela glória de Deus o que, alás, com tanto desejo lhe suplicam. Tal costuma ser muitas vezes o desejo que mostraste com tanta ansiedade: poi não é puro e perfeito o que está contaminado de algum interesse próprio.

Pede-me não o que te é agradável e comodo, mas o que me honra e apraz: de preferência os meus mandamentos,  que satisfazer os teus afetos e tudo quanto possas desejar de melhor.
Conheço os teus desejos e tenho escutado os teus contínuos gemidos.

Já quiseras gozar da gloriosa liberdade dos filhos de Deus: já te deleita o pensamento da eterna mansão da pátria celeste, repleta de gozo: mas não é ainda chegada a hora: outro é o tempo atual, tempo de guerra, de trabalho e provação.

Desejas fruir do sumo Bem: mas não podes alcançar isto agora. Sou eu este Bem, espera-me, diz o Senhor, até que venha o reino de Deus.

Há de ser ainda provado e exercitado em muitas coisas na terra. Consolações terás de quando em quando, mas saciedade plena não te será concedida. Esforça-te, pois, tem coragem para fazer e suportar o que repugna à natureza. Preciso se faz que te revistas do homem novo e te transformes em outro homem.

Convém que faças, muitas vezes, o que não queres e deixe o que queres. O que agrada aos outros irá adiante, tornar-se-á inexequível o que te agradar. Serão ouvido o que os outros disserem e o que tu disseres  será desprezado. Outros pedirão e receberão,tu pedirás e não alcançaras.

Grandes serão os outros na boca dos homens: mas de ti ninguém dirá palavra. A outros será confiado isto ou aquilo, tu,porém,da nada serás julgado capaz.

Por causa disso, a natureza se entristecerá algumas vezes e muito lucrarás se sofreres em silêncio.
Nesta e em muitas coisas semelhantes costuma o fiel servo de Deus ser provado, de modo a poder em tudo renunciar a si mesmo e mortificar-se.

Mal se achará coisa em que precises de te mortificar mais que em ver e sofrer o que é contrário à tua vontade, particularmente quando ter ordenam coisas que te parecem inconvenientes e inúteis. E, porque não ousas resistir à autoridade do superior, sob cujo domínio estás, por isso te parece duro andar à vontade de outrem e renunciar, de todo, ao teu próprio parecer.

Mas considera, filho, os frutos desses trabalhos, o seu prematuro término, e a recompensa infinitamente grande  e não terás de que sentir peso: ao contrário, acharás suavíssimo conforto para os teus sofrimentos.


E, com efeito, por essa pequena renuncia, que agora, espontaneamente fazes, a tua vontade será sempre satisfeita no céu.

Alí, certamente, encontrarás tudo o que quiseres e quanto puderes desejar. Alí possuirás todos os bens, sem o receio de os perder. Alí a tua vontade, sempre unida à minha , não terá outros desejos, que não sejam os meus.

Alí não haverá que te faça resistência, ninguém se queixará de ti, nenhum obstáculo encontrarás, não haverá que te cause estorvo: mas todas as coisas que desejares, ser-te-ão ao mesmo tempo presentes e será satisfeito em tudo teu afeto.

Alí dar-te-ei glória pela injurias recebidas: vestitura de alegria pelas tristezas, pelo ínfimo lugar um trono no meu reino eterno.

Alí se colherá o fruto da obediência, as asperezas da penitência tornar-se-ão em alegria e a submissão humilde será gloriosamente coroada.

Inclina-te, pois, agora, humildemente, à vontade de todos, sem que procures saber quem fala e quem ordena.

Mas haja o máximo cuidado, quer seja o superior que te acene, quer o igual ou inferior, que te faça alguma coisa, tudo aceita por bem e procura cumprir de boa vontade.

Busque um isto, outro aquilo, glorie-se este nisto e aquele naquilo, seja mil vezes louvado: tu, porém, deleita-te no desprezo de ti mesmo e na minha vontade e glória.

Eis o que deves desejar: que tanto na vida como na morte, seja Deus sempre em ti glorificado.

REFLEXÕES

O primeiro e o último preceito, o que encerra todos os outros, é a inteira renúncia de si mesmo e a conformidade perfeita de nossa vontade coma de Deus. Assim é que, embora nos seja permitido e até prescrito aspirar à bem-aventurança celestial, e gemer por nosso prolongado desterro, todavia devemos suportá-lo com grande paciência e comprazendo-nos nas provações que a Providência nos envia, porque elas são ao mesmo tempo úteis à nossa salvação e um dos meios que Deus escolheu para satisfazer sua justiça e para manifestar em nós sua misericórdia e sua glória.

Pecadores, devemos participar dos sofrimentos daquele que nos resgatou; discípulo de Jesus devemos seguir nosso mestre e nosso modelo, levando a cruz e como Ele bebendo o cálice da amargura. "Não será coroado senão o que "tiver legitimamente combatido. Ditoso pois o homem que suporta a tentação! Porque, depois de ter sido provado, receberá a coroa de vida que Deus prometeu aos que o amam" (1 Cor IX, 25; Tg I,12).

Esperemos a hora que Ele marcou e prossigamos em paz nossa peregrinação. Tudo o que acaba é curto, e nada é penoso para quem sabe esperar. Anime este pensamento nossa languidez e levante nosso ânimo quando nos sentimos abatidos. "No meio deste grande naufrágio do mundo, diz São Crisóstomo , uma propícia mão nos lança do alto a amarra da esperança, que pouco a pouco vai tirando das ondas, das misérias humanas e levantando até o céu os que a ela fortemente se agarram" (Ad Theod. Laps. 1,3).

Abri, meu Deus, as entranhas de vossa misericórdia, derramais os tesouros de vossa piedade para me sofrerdes e perdoardes os erros de minha vida pecadora. Porque embora desenganando-me todas as suas mudanças, nela me fixo como imutável. Que esperais de mim, Senhor? Não vêem vossos puríssimos olhos que tudo em mim é perdido se fico só comigo? Não vedes que não pode manar água senão da própria fonte onde nasce?

Ó fonte de toda a santidade, santificai-me; ó fonte de toda a luz, iluminai-me; ó fonte de toda bondade e perfeição, mudai minhas maldades; ó fonte de fogo de amor, abrasai-me, para que consumais em mim tudo o que vos desagrada. Enquanto ando peregrinando neste vale de lágrimas, segurai-me com vossa mão, auxiliai-me com vossa graça, para que escape ao naufrágio da culpa e chegue ao porto da salvação.

Imitação de Cristo, Edição "PAULUS". Capítulo XLIX, "Do desejo da vida eterna; 
Grandes bens são prometidos aos que combatem".

Nenhum comentário:

Postar um comentário