Meu Deus eu Creio, Adoro, Espero e Amo-Vos. Peço-Vos perdão para todos aqueles que não creem, não adoram, não esperam e não Vos amam.

Translate

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Translate Formação Católica

23 junho 2015

DEUS AMA A QUEM DÁ COM ALEGRIA

Deus ama quem dá com alegria

O coração de dona Etelvina era muito generoso. Apesar de ser pobre, a boa senhora sempre ajudava a todos os necessitados que fossem pedir-lhe uma esmola, em nome de Deus. Seu esposo, o senhor Antônio, era um honrado motorista, muito trabalhador, mas seu salário era o modesto valor que recebia pelo frete feito para os moradores da pequena vila de São Pedro do Leste. O que ganhava era apenas suficiente para sustentar a esposa e a filha, Margarida.

Não obstante, apoiava os pródigos gestos de sua mulher. E nunca faltava nada naquele humilde lar!

Tudo isso se devia à piedade do casal que, sem deixar de confiar na Providência Divina, era dadivoso para com aqueles que necessitavam ainda mais do que eles. Jamais abandonavam a frequência aos Sacramentos, pois sabiam que estes e a oração eram seu sustento e sua força.

Porém, o tempo passava e a pequena Margarida foi crescendo. Apesar do bom exemplo de seus pais, a menina era caprichosa, vaidosa e muito egoísta. Quando ia brincar com as amiguinhas da vizinhança, invariavelmente era a que deveria ganhar em todos os jogos, e tinha que ser o centro das atenções. Em nada imitava a humildade e a generosidade dos pais.

Quando completou sete anos, sua madrinha, senhora de certas posses, deu-lhe de presente uma linda boneca, com olhos de vidro e um vestido de princesa. A menina ficou encantada! Logo foi mostrá-la às companheiras. Mas em vez de deixar que cada uma a pegasse nas mãos, acariciasse e embalasse, cheia de apego, nem permitiu que tocassem no seu novo brinquedo, voltando para casa com muita arrogância!


A mãe se preocupava com a filha, pois via que estava andando por um caminho bem perigoso e, se continuasse assim, seria uma pessoa muito infeliz e perderia a amizade de Deus. Por isso, pedia muito à Santíssima Virgem por ela. E sempre lhe dava bons conselhos:

Filhinha, devemos pensar que assim como Jesus é generoso conosco, devemos ser com os outros. Se você ganhou esta linda boneca, é para que possa brincar junto com suas amigas. Nada temos que não tenha vindo da bondade de Deus. Não seja egoísta!

A menina escutava atenta, mas logo esquecia os bons conselhos da mãe…

Algum tempo depois, começaram as aulas preparatórias para sua Primeira Comunhão. Margarida ouvia com interesse a catequista contar os milagres de Jesus, como Ele havia curado enfermos, ajudado aos mais necessitados e como era generoso para com todos. Seu pequeno coração foi sendo tocado pela graça e começou a fazer um exame de consciência de como andava mal com suas atitudes egoístas e caprichosas…

Já na véspera do grande dia, antes mesmo da primeira Confissão, as crianças da catequese tiveram uma Missa preparatória para a mesma. E, em uma das leituras, a menina escutou: “Dê cada um conforme o impulso do seu coração, sem tristeza nem constrangimento. Deus ama quem dá com alegria” (II Cor 9, 7). Aquelas palavras entraram como um raio de fogo em seu coração! Queria ser ela também amada por Deus… Queria sentir a alegria de dar!

Terminada a Santa Missa, na porta da igreja, Margarida encontrouse com um mendigo. A aldeia era pequena e todos se conheciam, mas aquele infeliz maltrapilho lhe era totalmente desconhecido. O homem pedia uma esmola, por amor a Deus. Diante de tal súplica, Margarida sentiu-se tocada, pois ainda ressoavam em sua alma as palavras que acabara de ouvir: “Deus ama quem dá com alegria”…

Margarida levava sempre em seu pescoço uma correntinha com uma pequena cruz de prata, presente da madrinha, em seu Batismo. Era o objeto pelo qual mais tinha apreço. Sem titubear e sentindo pela primeira vez a alegria de dar, a menina tirou o estimado objeto e o deu ao pobre homem. Este olhou-a com extremo afeto e gratidão, e lhe disse:

Que Deus lhe pague e recompense!

Tomada de uma rara felicidade, a menina voltou para casa correndo e contou o fato à mãe que, em lágrimas, abraçou a filha, dizendo-lhe:

Pois saiba que esta foi a melhor preparação que você poderia ter feito para receber Jesus, no Santíssimo Sacramento!

Naquela noite, Margarida teve um sonho. Neste, Jesus lhe aparecia com sua cruzinha de prata nas mãos, adornada com as mais belas pedras preciosas. E, sorrindo, lhe perguntava:

- Conheces este objeto?

Ela Lhe respondia que sim, mas que não era tão linda como estava agora…

Jesus, então, lhe dizia:

Ontem tu a deste a um mendigo desconhecido, e a virtude da caridade a tornou mais bela! Esse mendigo era Eu! Prometo-te que, no dia do Juízo, em presença dos Anjos e dos homens, mostrarei esta pequena cruz para que tua glória seja eterna.

Na manhã seguinte, a menina aproximou-se do confessionário, completamente transformada. Depois de limpar sua alma dos caprichos e egoísmos, pôde receber Jesus na Eucaristia, com muita consolação e compreendendo o quanto é verdade que “Deus ama quem dá com alegria”.

E a exemplo de seus bons pais, levou uma vida santa, sendo generosa para com todos, sobretudo para com Nosso Senhor Jesus Cristo, deixando- se levar pela graça e por Seus desígnios, confiante na promessa que Ele lhe havia feito naquele inesquecível sonho!

Nenhum comentário:

Postar um comentário