Meu Deus eu Creio, Adoro, Espero e Amo-Vos. Peço-Vos perdão para todos aqueles que não creem, não adoram, não esperam e não Vos amam.

Translate

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Translate Formação Católica

15 dezembro 2015

A POLÊMICA CRIADA ENTORNO DOS ÚLTIMOS ELEISON DE MONSENHOR WILLIAMSON

"O ministro orgulhoso deve ser colocado junto com o diabo, mas nem por isso é contaminado o dom de Cristo, que, por esse ministro, continua a fluir em sua pureza e, por meio dele, chega límpido e cai em terra fértil... Na verdade, a virtude espiritual do sacramento se assemelha à luz: os que devem ser iluminados a receber em sua pureza, pois, mesmo que tenha de atravessar seres manchados, ela não se contamina."
Santo Agostinho.


Os comentários eleison (436, 437438 ) do Exc. Rev. Monsenhor Richard Williamson, foram recentemente causa de polêmica e debates entre alguns fiéis, por ter se dedicado a tratar em 3 de seus comentários semanais, do relato de um suposto milagre eucarístico ocorrido em 1996, numa hóstia consagrada por um padre, que celebrava a missa protestantizada de Paulo VI, em Buenos Aires, Argentina.

Creio que para analisarmos o caso com maior prudência, antes de tudo, faz-se necessário ler com atenção o relato noticiado em vários sítios católicos a respeito do suposto milagre.

Eis como fora noticiado:



"Papa Francisco e o milagre eucarístico de Buenos Aires"

"O Papa Francisco conduziu investigação para comprovar um dos maiores milagres eucarísticos da história recente, ocorrido em Buenos Aires em 1996."

Foi o chamado Milagre Eucarístico de Buenos Aires, onde uma Hóstia Consagrada tornou-se Carne e Sangue. O Cardeal Jorge Bergoglio, Arcebispo de Buenos Aires, hoje Papa Francisco, ordenou que se chamasse um fotógrafo profissional para tirar fotos do acontecimento para que os fatos não se perdessem. Depois foram conduzidas pesquisas de laboratório coordenadas pelo Dr. Castanon.

Os Estudos mostraram que a matéria colhida da Hóstia era uma parte do ventrículo esquerdo, músculo do coração de uma pessoa com cerca de 30 anos, sangue tipo AB de uma pessoa que tivesse sofrido muito com a morte, tendo sido golpeado e espancado. Os cientistas que realizaram o exame e os estudos não sabiam que era material proveniente de uma Hóstia Consagrada, isso só lhes foi revelado após a análise, e foram surpreendidos porque haviam encontrado glóbulos vermelhos, glóbulos brancos pulsando durante a análise, como se o material tivesse sido colhido direto de um coração ainda vivo.

A Hóstia Consagrada tornou-se Carne e Sangue

Às 19h de 18 de agosto de 1996, o Padre Alejandro Pezet celebrava a Santa Missa em uma igreja no centro comercial de Buenos Aires. Como estava já terminando a distribuição da Sagrada Comunhão, uma mulher veio até a ele e informou que tinha encontrado uma hóstia descartada em um candelabro na parte de trás da igreja. Chegando ao lugar indicado, o Padre Alejandro Pezet viu a hóstia profanada. Como ele não pudesse consumi-la, colocou-a em uma tigela com água, como manda a norma local, e colocou-a no Santuário da Capela do Santíssimo Sacramento, aguardando que dissolvesse na água.

Na segunda-feira, 26 de agosto, ao abrir o Tabernáculo, viu com espanto que a Hóstia havia se tornado uma substância sangrenta. Relatou o fato então ao Arcebispo local, Cardeal Dom Jorge Bergoglio, que determinou que a Hóstia fosse fotografada profissionalmente. As fotos foram tiradas em 6 de setembro de 1996. Mostram claramente que a Hóstia, que se tornou um pedaço de Carne sangrenta, tinha aumentado consideravelmente de tamanho.

Análises Clínicas
Durante anos, a Hóstia permaneceu no Tabernáculo e o acontecimento foi mantido em segredo estrito. Desde que a Hóstia não sofreu decomposição visível, o Cardeal Bergoglio decidiu mandar analisá-la cientificamente.

Uma amostra do Tecido foi enviado para um laboratório em Buenos Aires. O laboratório relatou ter encontrado células vermelhas e brancas do sangue e do tecido de um coração humano. O laboratório também informou que a amostra de Tecido apresentava características de material humano ainda vivo, com as células pulsantes como se estivessem em um coração.

Testes e análises clínicas: "Não há explicação científica"

Em 1999, foi solicitado ao Dr. Ricardo Castañón Gomez que realizasse alguns testes adicionais. Em 5 de outubro de 1999, na presença de representantes do Cardeal Bergoglio, o Dr. Castañón retirou amostras do tecido ensanguentado e enviou a Nova York para análises complementares. Para não prejudicar o estudo, propositalmente não foi informado à equipe de cientistas a sua verdadeira origem.

O laboratório relatou que a amostra foi recebida do tecido do músculo do coração de um ser humano ainda vivo.

Cinco anos mais tarde (2004), o Dr. Gomez contatou o Dr. Frederic Zugibe e pediu para avaliar uma amostra de teste, novamente mantendo em sigilo a origem da amostra. Dr. Zugibe, cardiologista renomado, determinou que a matéria analisada era constituída de "carne e sangue" humanos. O médico declarou o seguinte:

"O material analisado é um fragmento do músculo cardíaco que se encontra na parede do ventrículo esquerdo, músculo é responsável pela contração do coração. O ventrículo cardíaco esquerdo bombeia sangue para todas as partes do corpo. O músculo cardíaco tinha uma condição inflamatória e um grande número de células brancas do sangue, o que indica que o coração estava vivo no momento da colheita da amostra, já que as células brancas do sangue morrem fora de um organismo vivo. Além do mais, essas células brancas do sangue haviam penetrado no tecido, o que indica ainda que o coração estava sob estresse severo, como se o proprietário tivesse sido espancado."

Fotografia do suposto milagre

Evidentemente, foi uma grande surpresa para o cardiologista saber a verdadeira origem do tecido. Dois cientistas australianos, o cientista Mike Willesee e o advogado Ron Tesoriero, testemunharam os testes. Ao saberem de onde a amostra tinha sido recolhida, demonstraram grande surpresa.

Racional, Mike Willesee perguntou ao médico por quanto tempo as células brancas do sangue teriam permanecido vivas se tivessem vindo de um pedaço de tecido humano que permaneceu na água.

"Elas deixariam de existir em questão de minutos", disse o Dr. Zugibe. O médico foi então informado que a fonte da Amostra fora inicialmente deixada em água durante um mês e, em seguida, durante três anos em um recipiente com água destilada, sendo depois retirada para análise.


Dr. Mike Willesee Zugibe declarou que não há maneira de explicar cientificamente este fato:
"Como e por que uma Hóstia Consagrada pode mudar e tornar-se Carne e Sangue humanos? Permanece um mistério inexplicável para a ciência, um mistério totalmente fora da minha jurisdição".

Fonte: https://padrepauloricardo.org/blog/papa-francisco-e-o-milagre-eucaristico-de-buenos-aires


O relato do "milagre eucarístico de Buenos Aires" foi noticiado em blogs de grande audiência aqui no Brasil no ano de 2013, e que Monsenhor Williamson recentemente abordou em seus últimos comentários. Os motivos que o conduziram a recentemente escrever a respeito do referido milagre, somente ele pode dar, entretanto é verdade que muitos dos fiéis a Tradição Bi-milenar da Santa Igreja, conhecendo o que fora noticiado em tantos sites pelo mundo, questionavam-se;

"Como poderia Nosso Senhor, realizar um milagre nesta missa nova"?

Assim sendo, creio eu que o bom bispo tenha julgado necessário dirigir uma palavra a estes seus filhos, para que não se escandalizem e confirmem sua fé. Quem bem ler os comentários eleison, poderá verificar que nada escreveu Monsenhor Williamson a respeito do Novus Ordo Missae ou do suposto milagre que contrariassem a Sã Doutrina, entretanto muitos se apressaram em condená-lo.

Os três modos de se realizar uma leitura:

Perece-me que há 3 modos distintos de se realizar uma leitura, a saber; Dois são inconvenientes e um conveniente.

O primeiro modo inconveniente, é tomarmos um texto, não só esperando, mas desejando que nele haja algum erro para que assim possamos apontar para o autor o dedo em riste e condená-lo.

O segundo modo inconveniente é contrário do primeiro modo, toma-se um texto, e tendo o autor que o escreveu grande prestígio, e sendo ele por nós mui estimado, por apego humano, não o lemos de maneira critica, e imprudentemente acolhe-se todo seu ensinamento sem o devido exame.

O terceiro modo é o mais prudente, toma-se o texto e procura-se o ler com uma leitura crítica, a Luz da Sã Doutrina. Não tomando a leitura, desejando que haja nelas erros para condenar o autor, e menos ainda, considerar que autor por maior prestígio que tenha, goze do carisma da Infalibilidade Papal.





Pontos "polêmicos" dos Eleison, inadvertidamente condenados pelos críticos do Bispo Williamson. (Extraídos do blog: http://farfalline.blogspot.com.br/)


1 - Pode haver milagres fora da Igreja Católica?

Monsenhor Williamson em seus "comentários eleisons" onde trata do suposto milagre eucarístico ocorrido no NOM, nada diz a respeito de "milagres fora da Igreja Católica", esta sutil distinção pode levar ao leitor incauto a imaginar que o bispo defendeu esta tese, e considerar também que poderia haver verdadeiro milagre nas diabólicas seitas protestantes e pagãs para a justificação das mesmas. Ora, Deus jamais concederia milagres para confirmar mentiras, induzindo os homens ao engano e à perdição.    

2 - Pode haver milagres na Igreja pós-conciliar?

Com efeito, escreveu o Rev. Bispo Richard Williamson:

"Se a evidência dos milagres eucarísticos ocorridos dentro da Igreja do Novus Ordo (veja EC 436 e 437) é tão séria quanto parece, então os católicos têm de conformar suas mentes à mente de Deus, e não o inverso. Os católicos que estão aderindo à tradição têm uma necessidade especial de pensar no que Deus quis dizer através dos milagres, porque eles não compreenderão facilmente isto, sabendo o quão repugnante deve ser em si mesmo o Novus Ordo da Missa (NOM) para Ele.
(Os destaques são meus).

Antes de tudo, deve-se verificar que o bispo escreve os artigos considerando que tenha havido milagre, e procurando responder aos Católicos; "que estão aderindo à tradição (e que) têm uma necessidade especial de pensar no que Deus quis dizer através dos milagres", é a estes fiéis a quem o Exc. Bispo se reporta.

Até mesmo os opositores do Bispo Williamson admitem que não se pode sustentar que todas as missas novas sejam inválidas, como poderão verificar abaixo:

1º. Foi levantado se há consagração nas missas novas, a respeito disso sabemos que não se pode sustentar que todas as missas novas sejam inválidas, enquanto se mantenham as condições necessárias: ministro válido, fórmula precisa etc., condições estas cada vez menos frequentes. Mas centremos o assunto no essencial... Pode haver milagres na missa nova? E, mais concretamente, se pode dar crédito ao “milagre eucarístico” de Buenos Aires? (http://farfalline.blogspot.com.br/2015/12/pode-haver-milagres-fora-da-igreja.html)

Ora, se nem toda missa do Novus Ordo é inválida, e concordamos que o autor de todos os milagres (respeitando o sacerdote todas as condições exigidas) pode estar com sua Presença Real na Missa Nova, por uma consequência lógica, Nosso Senhor poderia sim realizar Milagre neste novus ordo, assim sendo digo com Monsenhor Richard Williamson "os católicos têm de conformar suas mentes à mente de Deuse não o inverso".

Se não procurarmos agir com resignação, conformado a nossas mentes à mente de Deus, corremos o risco de termos atitude semelhante a daqueles fariseus que escandalizavam-se de Cristo comer e beber com os publicanos e pecadores.

Não obstante, os quatro Evangelhos testemunham que Cristo andava em meio aos pecadores, realizando milagres entre os pecadores e incrédulos, confundindo os orgulhosos escribas que vendo-o comer com as pessoas de má vida e publicamos, diziam aos seus discípulos:

"Ele come com os publicamos e com gente de má vida? "

E Nosso Senhor assim os respondia:

  "Os sãos não precisam de médico, mas os enfermos; não vim chamar os justos, mas os pecadores." São Marcos II, 15-16.

Como reagiriam estes que criticam o Bispo Williamson, pelos comentários a respeito do suposto milagre ocorrido em uma Hóstia consagrada na missa nova, ao ver o Cordeiro de Deus. realizando milagres entre os pecadores e publicanos e com eles comendo?

Considerando que houve de fato um prodígio na nova missa, os opositores de Monsenhor Williamson só conseguem enxergar apenas uma possibilidade, dizem eles:

"Pois bem, um “eventual milagre”, em uma tal missa, que objetivo tem senão o de dar credibilidade a toda esta nova igreja, a seu concílio nefasto e a seus princípios errôneos?
http://farfalline.blogspot.com.br/2015/12/pode-haver-milagres-fora-da-igreja.html

Ora, apliquemos então esta conclusão também aos milagres realizados por Nosso Senhor em meio ao publicanos e pecadores, se diria que agindo assim Cristo estaria a justificar a vida ruim que levavam? De maneira alguma poderíamos assim julgar sem incorrer em sacrilégio.

Mas assim pensam os críticos de Monsenhor Williamson que, concluem que um milagre Eucarístico no Novus Ordo o promoveria, ou pior, seria uma justificação para missa de Paulo VI.

Como poderíamos conceber a ideia de que o suposto milagre eucarístico ocorrido em Buenos Aires, poderia favorece-la!? Pelo o contrário, deporia contra este rito novo protestantizado, demonstrando como este é indigno de Nosso Senhor.

Poderia também ainda, abrir os olhos de muitos impiedosos dando testemunho de que a Sagrada Eucaristia é o Centro de Tudo, pois é nela que se faz realmente presente em Corpo, Sangue, Alma e Divindade, o Nosso Senhor Jesus Cristo, a nossa Vida e Ressurreição.

Depõe também contra a sacrílega comunhão na mão, pois se o paroquiano estivesse recebido a Hóstia Consagrada na boca e de joelhos, não a teria descartado como se fosse lixo, nos fundos da Igreja,

Talvez um desgraçado, que ainda não crê na Presença Real de Nosso Senhor na Sagrada Eucaristia, passe agora a crer, e esta alma morta, antes amaldiçoada pela descrença, poderá então vir a ser novamente Animada, Santificada e Confirmada na Verdadeira Fé.

Todo aquele que já frequentou o novus ordo conhece muito bem que os modernistas, estes não tem, senão indiferença e desprezos para com o Nosso Senhor no Santíssimo Sacramento! Retiraram o Cristo do centro de tudo, colocaram-no num quartinho a parte, isolado e abandonado nos novos templos.

Ocorre hoje com Cristo no Santíssimo Sacramento, o mesmo que ocorreu quando esteve Ele no Getsêmani em sua agonia mortal. O CVII fez isso ao Nosso Senhor, lhe preparou um novo Getsêmani, onde novamente sofre as terríveis agonias, sendo desprezado e esquecido por sacerdotes e infiéis, consolado apenas pelos anjos e pelo amor de sua Santíssima Mãe.

Creio que um milagre Eucarístico em um ambiente de tanta impiedade, ao contrário do que quis fazer-nos crer os opositores do Bispo Williamson, poderia é justamente contribuir para o aumento a devoção do povo ao Sagrado Corpo e o Diviníssimo Sangue de Nosso Deus, sob as aparências de pão e vinho, e contribuir também para a diminuição da impiedade de sacerdotes e leigos ao tomar este Santíssimo Corpo.

Recordem-se que Nosso Senhor na Sagrada Escritura declara: "Todo reino dividido contra si mesmo será destruído. Toda cidade, toda casa dividida contra si mesma não pode subsistir." São Mateus XII,25.

Acaso satanás realizaria um prodígio cuja consequência poderia vir a ser o aumento da devoção ao Santíssimo Sacramento? Devoção esta que ele sempre procurou destruir, e incutir nos sacerdotes e nos fiéis, toda espécie de dúvidas a respeito das palavras de Cristo "Este é meu corpo"?

Com efeito declaram os críticos do Monsenhor:

1º ponto_ Se Deus fosse usar um milagre eucarístico no Novus Ordo, só poderia ser para converter tal paróquia ou cidade ao Catolicismo, deixando assim, o Conciliarismo. Foi isso o que ocorreu? Pelos frutos se conhece a árvore.

E também:

"Convenhamos que o verdadeiro milagre provém de Deus, e é um sinal certíssimo de origem divina de nossa religião (cf. Juramento Antimodernista. Dz 2145), ou seja, é dado o milagre aos fiéis para confirmar, provar, fortalecer nossa Fé.

Como foi demonstrado anteriormente, Nosso Senhor fez inúmeros milagres entre os pecadores por todos os lugares por onde passou, e se uma das finalidades dos milagres é a conversão dos infiéis e hereges, não se pode ter por certo que seu efeito será este, e isto não implica que seja falso. E assim nos dá testemunho os evangelhos:

"Depois Jesus começou a censurar as cidades, onde tinha feito grande número de seus milagres, por terem recusado arrepender-se:  Ai de ti, Corozaim! Ai de ti, Betsaida! Porque se tivessem sido feitos em Tiro e em Sidônia os milagres que foram feitos em vosso meio, há muito tempo elas se teriam arrependido sob o cilício e a cinza. Por isso vos digo: no dia do juízo, haverá menor rigor para Tiro e para Sidônia que para vós! E tu, Cafarnaum, serás elevada até o céu? Não! Serás atirada até o inferno! Porque, se Sodoma tivesse visto os milagres que foram feitos dentro dos teus muros, subsistiria até este dia. Por isso te digo: no dia do juízo, haverá menor rigor para Sodoma do que para ti!" São Mateus XI, 20-24.

E ainda:

"Os pontífices e os fariseus convocaram o conselho e disseram: Que faremos? Esse homem multiplica os milagres". (São João XI,47)

Logo, a conclusão abaixo, vinda dos opositores de Monsenhor Williamson testemunham contra eles mesmos.

2º ponto_ Se não há sinais de conversão, duas coisas poderiam ser analisadas:
 a) Ou o milagre veio através de outras forças [malignas], que aliás é o que a Igreja Católica através de seus santos e doutores, sempre disseram ser a maioria dos casos ou b) Deus decidiu, ainda que veladamente, apoiar algo do Novus Ordo. 
http://farfalline.blogspot.com.br/2015/12/pode-haver-milagres-fora-da-igreja.html

Se houve de fato Milagre Eucarístico na hóstia consagrada por um sacerdote que celebrava o no rito de Paulo VI, não tem cabimento imaginar que este milagre venha a justificar a ida de alguém a missa nova, esta mesma missa que promove sacrilégios, indiferenças, e o menosprezo a Sagrada Eucaristia.

Um católico descrente para com o sacramento do amor e que frequente o novus ordo, estando ciente de um milagre Eucarístico e neste milagre creia, ao reconhecer verdadeiramente que o bom Deus ali se faz presente em Corpo, Alma e Santidade, certamente irá se indignar com os abusos, falta de decoro e sacrilégios que largamente ocorre nas igrejas onde há a missa nova.

Como poderia então, este indivíduo, conciliar a Presença Real de Cristo, com rebolados, danças sensuais e músicas profanas?

Não irá este fiel protestar ao seu vigário, exigindo a ele que sejam tomadas as providências para que cessem os abusos?

Percebendo então este fiel, que o sacerdote não só apóia mas promove estes sacrilégios e profanações, tratará ele de abandonar este local de indignidades para com Nosso Senhor, e irá procurar bons e santos sacerdotes e um Rito, Digno de tão Augusto Sacrifício.

Não é esta por acaso caríssimo leitor, a história de muito de nós?

Nenhum comentário:

Postar um comentário