Meu Deus eu Creio, Adoro, Espero e Amo-Vos. Peço-Vos perdão para todos aqueles que não creem, não adoram, não esperam e não Vos amam.

Translate

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Translate Formação Católica

09 setembro 2015

VÁRIAS “IGREJAS” - COMENTÁRIO ELEISON - 281



VÁRIAS “IGREJAS”
CCLXXXI (281) – 01 de dezembro de 2012

Muita confusão reina hoje sobre a identidade da verdadeira Igreja de Nosso Senhor aqui na Terra, e sobre a variedade de nomes pelos quais ela pode ser chamada. Com certeza a maior parte da presente confusão vem do maior problema da Igreja de hoje, que é o diabólico Concílio Vaticano II (1962-1965). Vamos tentar deslindar algumas das confusões.

“Church” [Igreja] deriva do Inglês Antigo “Cirice”, derivando por sua vez da palavra grega “kuriakon”, que significa “do Senhor”. Assim, “Doma kuriakon” significava “casa do Senhor”, e do nome da construção, “church” passou a significar também as pessoas que se encontravam regularmente no edifício.

Igreja “Católica” nomeia mais que o edifício, mas, principalmente, o grupo mundial de pessoas (“katholos” em grego significa “universal”) que partilham uma só Fé, um conjunto de sacramentos e uma Hierarquia, todos três tendo sido estabelecidos pelo Deus encarnado, Nosso Senhor Jesus Cristo, em sua vida na Terra há dois mil anos. Mas a partir deste grupo original de crentes, ainda que estabelecido por Nosso Senhor, outros grupos têm regularmente se separado, enquanto continuam alegando ser a verdadeira Igreja de Cristo. Como então eu vou saber qual é a sua verdadeira Igreja?

A “Igreja de Cristo” tem quatro Marcas, como são chamadas.

1 Una - acima de tudo pela unidade da Fé, Nosso Senhor quis unir a sua Igreja, e não fundar muitas igrejas (cf. Jo XVII, 21-23: “Que todos sejam um”.).

2 Santa - Nosso Senhor fundou a sua Igreja para trazer os homens para o Deus Santíssimo e seu santo Céu (cf. Mt V, 48: “Sede perfeitos”.).

3 Católica - Nosso Senhor fundou a sua Igreja para todos os homens de todos os países e de todas as épocas (cf. Mt XXVIII, 19: “Ide, ensinai todas as nações”.).

4 Apostólica - Nosso Senhor fundou a Sua Igreja como uma monarquia a ser governada pelo Apóstolo Pedro e seus sucessores (cf. Mt XVI, 18: “Tu és Pedro e sobre esta pedra (em grego “petran”) eu fundarei a minha Igreja”). Onde quer que essas quatro marcas estejam, aí está a verdadeira Igreja de Cristo. Onde quer que elas faltem, não há Igreja de Cristo.

 “Igreja Conciliar” significa que a Igreja Católica centrada em Deus caiu e continua caindo sob a influência do homem centrado no Concílio Vaticano II. O Conciliarismo (o erro destilado do Vaticano II) tem a mesma relação com a verdadeira Igreja de Cristo quanto a podridão de uma maçã podre tem com a maçã que está apodrecendo.

Assim como a podridão ocupa a maçã, ela depende da maçã, não pode existir sem a maçã, mas é bem diferente da maçã (como não comestível é diferente de comestível), então o Conciliarismo centrado no homem ocupa tanto a Igreja de Cristo que pouco resta da Igreja que não esteja mais ou menos podre, e o Conciliarismo é tão diferente do Catolicismo que se pode verdadeiramente dizer que a Igreja Conciliar não é a Igreja Católica. Mas a Igreja Católica é visível. A Igreja Conciliar também não é visível?

“Igreja visível”: são todos as edificações, membros oficiais e demais pessoas da Igreja que podemos ver com nossos olhos. Mas dizer que a Igreja Católica é visível, por isso a Igreja visível é a Igreja Católica, é tão tolo quanto dizer que todos os leões são animais, logo todos os animais são leões. Aquela parte da Igreja visível é Católica, a que é una, santa, universal e apostólica. O resto são vários tipos de podridão.

“Igreja oficial” significa a Igreja sendo conduzida e seguida por seus membros oficiais visíveis. Uma vez que estes hoje são predominantemente conciliares, então a “Igreja oficial” é em grande parte Conciliar e não católica, de acordo com as quatro marcas. Da mesma forma, “Igreja Mainstream” significa a Igreja oficial de hoje, em oposição à “Tradicionalista” remanescente. No entanto, ninguém pode dizer que nada há de uno, santo, universal ou apostólico restando na Igreja mainstream, e mais do que tudo na “Tradicionalista”, que permanece manifestando as quatro marcas. Trigo e joio estão sempre misturados na Igreja de Cristo (cf. Mt. XIII, 24-30).

Kyrie eleison

Nenhum comentário:

Postar um comentário